Em NY, Moro defende restrição de foro privilegiado para juízes

O juiz federal Sergio Moro afirmou, nesta quarta-feira (16), em Nova York, que a restrição do foro privilegiado, aprovada pelo STF (Supremo Tribunal Federal), deve ser estendida para outros poderes, inclusive o Judiciário.

Moro, porém, disse acreditar que essa decisão, agora, depende do Congresso. “Embora o STF tenha tomado uma decisão importante, o Supremo pode ir até determinado ponto, pois existem limites de interpretação”.

O juiz fez as declarações durante evento nos Estado Unidos organizado pelo Lide, empresa ligada à família de João Doria (PSDB), ex-prefeito de São Paulo e pré-candidato ao governo do estado.

Moro disse entender que a tendência é que a restrição de foro seja estendida e defendeu que juízes e magistrados sejam incluídos.

“Não existe nenhuma instituição humana isenta da possibilidade de as pessoas ali presentes se corromperem. O interessante é como as pessoas reajam a esse comportamento. Podem achar que o processo contra um juiz corrupto afeta toda a categoria. Ao contrário, deve-se adotar a postura de
exigir que a pessoa seja responsabilizada”, opinou, ao comentar casos de juízes condenados por corrupção no Brasil e nos Estados Unidos.

Para Moro, ainda é cedo para saber se a a mudança no foro privilegiado vai resultar em uma efetividade maior no julgamento das ações em outros tribunais. “Só depois é que veremos se a experiência vai ser positiva”, afirmou.

Após a apresentação, Moro saiu rapidamente do hotel onde ocorreu o evento. Abordado pela imprensa, ele comentou que já tem recebido processos por conta das mudanças no foro privilegiado, mas não quis informar detalhes. “Ainda não sabemos quão grande vai ser o número de casos que vamos receber, nós recebemos passivamente, não vamos atrás”.

Questionado por jornalistas, antes do evento de hoje, sobre ter se deixado fotografar ao lado do tucano, Moro disse apenas que se tratava de uma situação social. “”Isso não significa nada”, declarou. Ao iniciar sua apresentação,o juiz brincou com o tema.

“Confesso que hoje de manhã acordei com uma certa dúvida…sobre qual gravata usar neste evento. Tinha uma gravata vermelha e uma azul, isso pode ter vários sentidos. Vermelha pode significar Lide, partido republicano [dos Estados Unidos] ou partido dos trabalhadores [PT]. Azul pode ser PSDB ou partido democrata [dos Estados Unidos]”, contou o juiz que optou pela cor vermelha.

Com informações de Uol noticias

 

Comentários

Pin It on Pinterest