Defesa de Lula pede que trechos da delação da JBS não fiquem com Moro

Novos depoimentos dizem respeito a investigações que estão a cargo da Justiça Federal de Brasília.

A defesa de Lula quer evitar que trechos complementares da delação de executivos do grupo J&F, controlador da JBS, fiquem com o juiz Sergio Moro. Os advogados dele apresentaram uma petição nesta quarta-feira no STF pedindo para que fiquem concentradas na Justiça Federal de Brasília as investigações que tratam de supostos repasses da JBS ao PT em contas no exterior. Em troca dos repasses, haveria ajuda em financiamentos no BNDES.

Em depoimentos, os delatores Joesley Batista, dono da empresa, e Ricardo Saud, executivo do grupo, disseram ter ajudado o PT em troca de ajuda no BNDES.

Em maio do ano passado, o ministro Fachin, relator do acordo de colaboração, determinou que trechos da delação original sobre o tema fossem encaminhados tanto à Justiça Federal de Curitiba quanto à Justiça Federal de Brasília.

A defesa recorreu, com o objetivo de que tudo ficasse apenas em Brasília. A Segunda Turma do STF concordou. Mas na semana passada a PGR pediu que trechos complementares da delação sobre o mesmo assunto fossem para as duas unidades da Justiça Federal. Ainda não houve decisão de Fachin a respeito.

Com informações do Jornal ‘O Globo’

+Ministério Público denuncia Joesley e mais cinco por corrupção

+Moro fala sobre trabalho de Zanin, advogado do Lula

+TSE nega pedido de Lula para indicar ‘representante’ em entrevistas

Comentários

Pin It on Pinterest